Qual é a tendência do mercado imobiliário para os próximos anos?

Qual é a tendência do mercado imobiliário para os próximos anos?

Com a queda histórica da taxa Selic, tudo indica que as condições de financiamento ficarão ainda melhores. Assim, garantindo a retomada do crescimento. E a expectativa otimista é compartilhada por vários setores, que veem um cenário promissor adiante. Então, conheça a tendência do mercado imobiliário para os próximos anos e prepare-se para fazer bons negócios.

Juros do financiamento imobiliário continuarão em queda

Em maio, a Caixa, principal agente financiador da casa própria, mostrou a grande tendência do mercado imobiliário para os próximos anos: a dos juros baixos. A medida de redução veio a reboque da baixa da Selic, a taxa básica de juros do mercado financeiro, fixada em 6,5% ao ano.

Com isso, a poupança passa a captar mais recursos – utilizados para o crédito residencial – o que também colabora para a baixa dos juros. Como resultado, foi criada uma competitividade entre os bancos, que também reduziram suas taxas.

Como a inflação se mantém estável, a perspectiva é que esse cenário só mude se for para melhor. A expectativa da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e de Poupança (Abecip) é que os financiamentos imobiliários cresçam 10% ainda em 2018. Ponto para o consumidor.

Aumento dos lançamentos e redução das unidades em estoque

Os dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) reforçam ainda mais a tendência do mercado imobiliário para os próximos anos.

Calculados pela Fipe, da Universidade de São Paulo (USP), mostram alta de 22,2% no número de unidades residenciais lançadas. Já nas vendidas, de 12% entre janeiro de 2017 e janeiro de 2018.

Para o Bradesco, a retomada das vendas de imóveis residenciais que começou em 2017 deve se acelerar até o final de 2018. Assim, o crescimento da demanda fez com que as incorporadoras retomassem seus lançamentos. Para o banco, o cenário do mercado imobiliário está cada vez mais ajustado à demanda.

Para se ter uma ideia, o tempo para que todas as unidades disponíveis sejam esgotadas foi reduzido de 23 para 17 meses, diminuindo consideravelmente o estoque.

Ou seja, estoques mais ajustados significam um equilíbrio favorável às incorporadoras – o que se reflete em perspectivas melhores de preços.

Número de empregos gerados por escritórios corporativos deve subir

A expansão da construção civil é outra grande tendência do mercado imobiliário para os próximos anos. Aliada à queda dos juros e maiores facilidades de financiamento, puxam outro fator positivo: o aumento das vagas nos escritórios corporativos.

Empresas vendendo mais precisam de novas tecnologias – e de mais funcionários. E não só na linha de frente das construtoras, mas em toda a cadeia, fomentando os escritórios corporativos.

Com isso, inicia-se um ciclo vicioso extremamente favorável. Assim, com mais pessoas inseridas no mercado de trabalho os preços tendem a cair. Além disso, pode-se melhorar as oportunidades de negócios e de investimentos.

Tendência do mercado imobiliário para os próximos anos: imóveis mais valorizados

A valorização dos imóveis é esperada para a partir de 2019/2020. Para a Abrainc, as vendas de imóveis devem crescer 15% em 2018, voltando ao mesmo nível de vendas registrado em 2014.

As projeções da entidade apontam que os imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida devem responder por 64% das vendas em 2018. Em 2014, eles respondiam por 42%.

A estimativa, no entanto, é que os imóveis sofram valorização a partir do segundo semestre de 2019. Assim, a expectativa é que nesse prazo haja uma consolidação da recuperação da economia. E tanto do poder de compra, quanto do grau de confiança, fazendo com que os juros cheguem ao patamar de antes da crise – de 7% a 8% ao ano.

Com isso, os anos de 2018 e 2019 se configuram como um período promissor, especialmente favorável aos bons investimentos imobiliários.

Otimismo x incertezas políticas e econômicas

É sempre bom lembrar, no entanto, que a tendência do mercado imobiliário para os próximos anos é baseada em estimativas. Ainda que os dados coletados pelas entidades apontem na direção do crescimento, interferências podem ocorrer.  Inclusive, em função do cenário político econômico que vai se apresentar, com a posse do novo presidente.

E você? Quer saber de outros assuntos além de tendência do mercado imobiliário para os próximos anos? No nosso blog, você encontra muita informação para ajudá-lo no processo de compra!

Participe da discussão