Comprovar renda para comprar um imóvel financiado.

Comprovar renda para comprar um imóvel financiado.

O holerite não é a única forma de comprovar renda para comprar um imóvel financiado

Como comprovar renda para comprar um imóvel financiado pelo banco está entre as principais dúvidas sobre financiamento imobiliário. Essa exigência para que o processo de compra e venda de imóveis financiados seja concluído com sucesso visa saber a capacidade de pagamento mensal do solicitante. É com base nesses dados que o banco determina o valor do financiamento.

Com um mercado de trabalho cada vez mais dinâmico e versátil como o do Brasil, a comprovação da capacidade de pagamento não está mais restrita ao contracheque (ou holerite). Existem outras maneiras de comprovação de renda para facilitar a compra do imóvel e é isso que você vai saber agora.

Há mais de uma forma de comprovar renda para a compra de um imóvel financiado.

Os principais meios de comprovar renda para financiar um imóvel variam de acordo com o perfil do comprador. É verdade que o holerite é o mais simples, porém só é válido para quem trabalha formalmente, registrado, com carteira assinada.

E quem não trabalha nestes moldes – algo cada vez mais comum no Brasil – e não tem contracheque?  

Os meios de comprovação de renda podem variar de banco para banco, mas, de uma maneira geral, são os mesmos.  

No Banco do Brasil, por exemplo, além do holerite, há duas formas de comprovar renda para comprar um imóvel financiado:

  • Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) e
  • Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore). Este deve estar validado pelo Conselho Regional  de Contabilidade, o CRC do seu contador. Porém, não são todos os bancos que aceitam o Decore.

Para o financiamento bancário via Caixa Econômica Federal, o mais popular dentre os financiamentos, os meios de comprovar renda para financiar um imóvel são muitos e com base nas atividades remuneradas do interessado.

De acordo com a CEF, o ideal é que a pessoa em busca de financiamento imobiliário procure uma agência para que um funcionário explique pessoalmente todas as possibilidades de comprovação de renda.

Na ocasião, o interessado deve descrever suas atividades remuneradas e precisa mostrar documentos que confirmem essas atividades. Dessa forma, tanto as chances de comprovação de renda quanto o limite de crédito podem ser ampliados.

Nos bancos privados, como o Itaú, por exemplo, a comprovação de renda para financiar um imóvel pode ser via Declaração do Imposto sobre a Renda e também via movimentação bancária, com a análise de seu extrato bancário.

Como comprovar renda para o financiamento bancário para os autônomos?

Os autônomos – como vendedores, profissionais liberais, cabeleireiras, dentre tantos outros – podem comprovar suas rendas com a movimentação bancária e também com a Declaração do Imposto sobre a Renda.

Comprovação de renda familiar

Juntar as rendas dos membros da família é uma prática muito comum, que tende a melhorar a análise por instituições bancárias e potencializar o limite de crédito do interessado. Porém, todos os compradores (com ou sem grau de parentesco) precisam comprovar renda e constar em contrato.

Vale ressaltar que o valor das parcelas do financiamento não deve exceder o percentual de 30% da renda familiar comprovada.

ALGUMAS FORMAS DE COMPROVAR RENDA:

  • Holerite ou contracheques;
  • Declaração do Imposto sobre a Renda;
  • Extrato da aposentadoria;
  • Decore.

Cientes de todo o dinamismo que o mercado de trabalho brasileiro tem, as instituições financeiras estão abertas ao diálogo e a encontrar a melhor maneira de atender às exigências burocráticas para a aprovação do financiamento imobiliário e, claro, para possibilitar a realização daquele que está entre os maiores sonhos do brasileiro: a compra da casa própria.

Ficou alguma dúvida a respeito de como comprovar renda para comprar um imóvel financiado? Deixe nos comentários, que um de nossos especialistas terá prazer em responder. Acesse nosso blog para mais, também.

Participe da discussão