Como ser aprovado no financiamento? O que pode impedir a aprovação?

Como ser aprovado no financiamento? O que pode impedir a aprovação?

Publicado em 19/04/2019

Comprar um imóvel exige um bom planejamento financeiro, além da busca pela residência ideal. Além disso, é importante saber como ser aprovado no financiamento, se essa for a forma de pagamento escolhida, tendo em vista que isso auxilia na liberação do crédito.

Cada instituição financeira tem um processo de análise diferente para a aprovação do contrato, mas há alguns fatores que sempre são exigidos, e o não atendimento dos critérios pode frustrar todo o seu planejamento.

Para que você não cometa nenhum erro, neste post mostramos alguns fatores que podem impedir o financiamento e como aumentar as chances de aprovação. Acompanhe!

Renda familiar fora das regras

Muitos financiamentos têm regras em relação à renda familiar, como o programa Minha Casa Minha Vida, que separa os tipos de crédito em faixas, tendo requisitos e possibilidades distintas para cada uma. Porém, mesmo para quem vai adquirir imóveis de valores mais altos, também é necessário considerar a renda antes de solicitar o financiamento.

O rendimento familiar influenciará o valor das parcelas, o tempo do financiamento, o pagamento da entrada e outros fatores importantes para o negócio. Por isso, muitas vezes o contrato não é aprovado nos moldes em que o comprador espera.

Um problema comum é a dificuldade para comprovar a renda familiar, principalmente para autônomos, o que pode impedir a aprovação do financiamento. Para evitar isso, é fundamental avaliar os rendimentos e fazer algumas simulações para ver se você se enquadra nas condições desejadas.

Além disso, vale a pena separar alguns documentos, como declaração do imposto de renda, extratos bancários, recibos e outros itens que demonstrem os rendimentos do comprador.

Nome negativado

A instituição financeira que o oferece o financiamento exige vários documentos pessoais do contratante, e o principal motivo disso é garantir que ele não está com o nome inscrito em cadastros de proteção ao crédito, como o SPC e o Serasa.

Caso o comprador esteja com o nome sujo, a instituição financeira negará a aprovação do financiamento, porque se existem dívidas que não foram honradas, a confiança em relação ao pagamento das parcelas do contrato é abalada.

Se esse for o seu caso, é importante procurar os credores para renegociar as dívidas e fazer propostas de pagamento, com a condição de que a inscrição do nome seja retirada dos cadastros. Mas é fundamental cumprir com todos os termos acordados para evitar uma nova restrição, que pode impedir o financiamento.

Score de crédito baixo

Os cadastros de restrição ao crédito também têm uma ferramenta chamada score, em que é atribuída uma pontuação ao consumidor de acordo com o pagamento pontual de parcelas, atrasos, inscrições no nome etc., e aponta a probabilidade de ele se tornar inadimplente em um prazo de 12 meses.

Assim, quando acontecem atrasos em pagamentos e restrições no nome esse score diminui. Scores muitos baixos demonstram para a instituição financeira que o contratante não honrou com alguns compromissos de crédito e que existe uma probabilidade maior de que ele não pague as parcelas do financiamento.

Como os bancos querem garantias de que receberão os pagamentos acordados em dia, um score baixo pode fazer com que o financiamento não seja aprovado ou resultar em taxas mais altas. Por isso, é fundamental pagar pontualmente as prestações de outros créditos e renegociar dívidas, caso elas existam.

Falta de documentação necessária

Outra dica sobre como ser aprovado no financiamento é separar toda a documentação exigida pela instituição financeira. Aqui você deve contar com o apoio de uma imobiliária, ou assessoria de Crédito, que já conhecerá todos os trâmites, ou pesquisar junto ao banco o que é exigido.

Geralmente, os documentos pedidos são:

  • documento de identificação com foto;
  • número do CPF;
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social;
  • comprovante de renda dos últimos 3 meses;
  • certidão de nascimento, casamento ou comprovante de estado civil;
  • última declaração do imposto de renda.

Esses são os documentos básicos, sendo que cada banco poderá pedir outras comprovações do comprador e do imóvel para saber se tudo se encaixa nas regras de aprovação do financiamento.

Comprometimento da renda

Outro motivo que faz com que o financiamento não seja aprovado é o comprometimento da renda. Atualmente, as instituições financeiras impõem um limite de 30%, ou seja, se o contrato comprometer mais do que esse valor, ele pode não ser aceito.

Assim, se você tem um financiamento de um carro, por exemplo, e quer fazer de um imóvel, é preciso somar as parcelas desses dois contratos para verificar se não atingirá o limite de 30% da renda.

Lembre-se que, para os casados, é possível somar renda do casal para aumentar o limite do valor de comprometimento de rendimentos, mas isso também deve ser calculado para não perder oportunidades de um financiamento com melhores condições.

Limite de idade

A idade também pode ser um fator analisado para aprovar, ou não, o pedido de financiamento do comprador. As instituições financeiras costumam limitar esse fator em 80 anos.

Ou seja, o prazo do financiamento é contado até o contratante chegar a 80 anos, se passar disso, o contrato poderá ser desaprovado, o que frustrará todo o planejamento.

Para contornar isso é possível diminuir o prazo do financiamento e aumentar o sinal. Isso impede que as parcelas fiquem muito altas (comprometendo mais de 30% da renda) ou ultrapasse os 80 anos do comprador.

Para contornar isso, é possível aumentar o valor do sinal e diminuir o prazo de financiamento. Importante se atentar que o limite para o comprometimento da renda é de 30% .

Esses são apenas alguns motivos que podem impedir o seu empréstimo. Se você quer saber com mais detalhes como ser aprovado no financiamento é fundamental consultar uma empresa especializada, já que as exigências podem variar para cada pessoa e tipo de contrato.

Gostou deste post? Se você quiser continuar conhecendo mais sobre o assunto, não perca o nosso texto sobre os tipos de financiamento existentes!

Participe da discussão